domingo, 11 de setembro de 2011

Notre-Dame










Quem já ouviu falar no corcunda de Notre Dame ??? rs... quando criança assisti este filme e fiquei deslumbrada, assustada, mergulhada na trama desta história que acontecia numa catedral de Paris... meu filho e sua namorada me levaram pra conhecer essa antiga catedral parisiense, gótica, construída em 1163 dedicada a mãe de Jesus, Maria...fica na praça de Parvis na Ilha de Ile de la Cité, emoldurada pelas águas do Rio Sena...ela é imponente, em sua fachada tem três portais, Santa Ana, Virgem Maria, e portal do Julgamento, o estilo gótico trás uma riqueza de detalhes onde ficamos por muito tempo observando e fotografando cada um deles..., alguns assustadores como os demônios bravios nos telhados. Thas conseguiu tirar umas fotos dos vitrais por dentro da catedral, deu pra mim matar a curiosidade de como é lá dentro...rs... a fila pra entrada estava enorme e então resolvemos conhecer os arredores do lugar, chegamos numa ponte sobre o rio Sena, atrás da catedral e lá estava as Juras Secretas de Amor.... uma porção de cadeados trancados, onde os casais trancaram para sempre o seu amor e jogaram a chave do cadeado no rio....rs.... nas ruas laterais ficam vendedores de souvenirs, fotos, cartazes, pinturas e mais uma porção de coisas interessantes.
Agradeço mais uma vez a disposição de meu filhote de me proporcionar mais este prazer... ADOREI!!!!!

O Corgunda de Notre Dame
Victor Hugo

Em Paris do século XV, uma jovem cigana, chamada Esmeralda, dança na praça da Catedral de Notre Dame. Sua beleza transtorna o arquidiácono Claude Frollo, que, perturbado pela beleza da moça e querendo afastar-se dessa tentação, ordena que seu sineiro, o disforme Quasímodo, rapte a moça. Esmeralda é salva por um grupo de arqueiros, comandado pelo capitão da guarda Phoebus de Châteaupers. Quando a cigana reencontra Phoebus, alguns dias mais tarde, ela demonstra todo o amor que passou a dedicar-lhe. Apesar de comprometido com a jovem Fleur-de-Lys (em em português: "Flor de Lis"), Phoebus fica seduzido pela cigana. Ele marca um encontro com ela em um local fechado mas, quando está chegando a seu objetivo, Frollo aparece e o apunhala.

Acusada de assassinato, a Bela Esmeralda não aceita, para escapar do suplício, se entrega a Frollo. Quando é levada ao átrio da catedral para receber a sua sentença de morte, Quasímodo que também a ama, porém de forma desinteressada se apossa dela e a leva para dentro da igreja, onde a lei de abrigo a torna protegida. Quasimodo passa a noite tratando dela.

No entanto, os vagabundos com quem Esmeralda vive vêm libertá-la. Frollo aproveita-se do tumulto formado para levá-la com ele e tenta seduzi-la. Furioso com sua recusa, ele a entrega às garras de uma velha reclusa do "buraco dos ratos", uma eremita enterrada por sua vontade nesse buraco no chão e considerada louca. Porém, ao invés de despedaçar Esmeralda, a velha reconhece na cigana sua própria filha e a poupa. Esmeralda não consegue desfrutar de uma paz muito longa; logo em seguida, os guardas da cidade a encontram e ela é encaminhada novamente para a sua execução, na praça da catedral.

Do alto da igreja, Quasímodo e Frollo assistem à execução. Quasímodo, louco de desespero, atira o padre do alto da torre e desaparece para sempre. Muito tempo depois, ao ser aberto o ossário de Montfaucon, são encontrados dois esqueletos abraçados; um deles, com uma visível deformação da espinha. (Wikipédia)